domingo, 29 de janeiro de 2012

A dança do ventre é para TODAS as mulheres

O tema deste post  é muito discutido entre as bailarinas, porque o preconceito ainda é muito grande.
Na verdade isso acontece no mundo como um todo e não apenas na dança do ventre.As pessoas tem que entender que a dança do ventre se diferancia de muitas danças pois é uma dança que representa um povo e seus costumes.A maioria das mulheres (e isto é fato) vive preocupada com o ponteiro da balança e, muitas vezes, deixa de aproveitar a vida com tanta cobrança para estar sempre linda e desejável.Devemos pensar que a dança do ventre feminina é feita com vários intuitos, na minha opinião  o principal deles é o trabalho de elevação da autoestima da mulher. Ou seja, fazer com que as mulheres entendam que são belas, mesmo sendo "volumosas" magras, altas ou baixas .Se existe dentro de cada mulher que não conhece mas que gostaria de aprender a dança do ventre : não deixem comentários desagradáveis te desmotivar  porque na grande maioria das vezes, são comentários de pessoas que desconhecem a esta dança e sua cultura,seus pricípios.Eu já notei que que quando isto acontece na grande maioria das vezes, são comentários de mulheres que na verdade queriam estar no palco  e não tem coragem.
 Um dia,essas tristes pessoas vão perceber o quanto estão erradas e seus preconceitos são totalmente sem razão.
Quando puderem dêem uma olhadinha: /http://belezaemcurvas.com.br/plus/ achei o máximo este blog.
Pois é minha gente,a  dança é e deve ser para todas as mulheres, sem distinção de cor, altura, peso, idade,padrões estéticos.Querem um exemplo de mulher bem sucedida ( na minha opinião) ,e que para muitos talvez não se encaixe bem em padrões criados de sua pofissão (e que está pouco se lixando para opiniões): Flúvia Lacerda.
Flúvia Lacerda é modelo Plus Size (manequim GG). Considerada uma das mais bonitas do mundo, há três anos estrela campanhas da agência Elite, nos Estados Unidos. Dona de uma beleza exótica, Flúvia já fotografou para revistas de diversos países e estrelou centenas de campanhas de moda, onde cada curva de seu corpo foi apresentada tão perfeitamente quanto as das modelos magra e chega a faturar cerca de 20 mil dólares (cerca de R$36 mil) por dia em campanhas publicitárias e desfiles.
Bom só citei o exemplo desta mulher super assumida e resolvida com seu corpo para dar início a este post...um aviso importante: SE ACASO ACHAREM SEM NOÇÃO, DE MAU GOSTO OU OFENSIVO, MUDEM DE BLOG. Não deixaremos de tratar temas cotidianos só por medo das opiniões.A dança do ventre é (repito novamente ) para todas aquelas que querem aprender,conhecer e vivenciar esta magia  independente de altura,cor,peso,nacionalidade. Ser bem resolvida com seu corpo,sua mente é a verdadeira razão para ser feliz e bem sucedida em qualquer ramo da sua vida.
Padrões estéticos ou não, são criados pelas pessoas que acham que o mundo não é feito de diversidades.Ignorantes acham que a dança do ventre não pode ser particada por  estar fora de padrões.  Se você se empenha, gosta do que faz, algo bom acontece, nós é que estragamos quando não nos consideramos capazes.  Já pararam para pensar que culturalmente, as dançarinas do ventre do oriente são mais gordinhas,pois  os árabes valorizam as mulheres “avantajadas”, é uma questão cultural: sinal de saúde, nobreza e que ela seria uma ótima mãe.  Cito só para vocês relembrarem um pouco dos benefícios psicológicos da dança do ventre:  
- Desenvolvimento imediato da auto-estima: a mulher passa a observar e perceber que tem diversas qualidades que talvez nunca tenham sido trabalhadas;
      - Aflora a feminilidade tornando-a mais sensual, sem resquícios de vulgaridade;

      - Promove na mulher a aceitação de si mesma como ser encantador, diferenciado e belo;

      - Desenvolve a agilidade mental, concentração e atenção tanto na música quanto nos movimentos.

      - Estimula a criatividade;

      - Através de seqüências e laboratórios/dinâmicas trabalhamos a percepção sensorial. Isso cria uma sensibilização na mulher, de forma que sua leitura musical é decodificada através de movimentos precisos e que a colocam em contato com seu interior, suas próprias emoções;

      - Desta mesma forma, a timidez que muitas vezes atrapalha o processo de aprendizado é trabalhada aos poucos, possibilitando melhoria nos relacionamentos;

      - Alivia o stress do dia-a-dia através do contato de grupo pela troca de experiências e informações, o que desenvolve a capacidade de sublimar os desafios.
 Sábias as citações da balarina,professora e coreógrafa Nagla Yacoub para expressar extamente o que pensamos sobre este assunto,reflitam:
"A beleza da mulher deve avaliar-se não pelas proporções do corpo, mas pelo efeito que estas produzem.
A beleza nao está na cara e no corpo.
A beleza é uma luz no coraçao EXUBERÂNCIA E BELEZA.
A Melhor que ter uma grande BELEZA,é ter um grande CORAÇÃO."

É fato que,para algumas mulheres, se imaginar com uma roupa de dançarina do ventre, se apresentando com charme, sensualidade e elegância, pode ser difícil de se concretizar,mas já pararam para pensar em  todas as coisas incríveis que nosso corpo nos ajuda a fazer?

Dançar é uma delas, a dança nos proporciona o sentimento de liberdade e com certeza vocês irão repensar sobre isto com exemplos de bailarinas tão graciosas como estas:









          
 
                                                   

                                               
  
                           

Louvada seja a dança, não?, que nos dá a sensação de viver algo novo e inovador,sendo quem realmente somos...Simples assim. Quando tive a vontade de fazer este post me faltou palavras e inspiração (na verdade estes videos acima vieram depois...),mas ao assistir uma apresentação da bailarina Mayara Silveira (Campina Grande-PB) me aflorou muitas idéias....  

        
Pois bem pessoas, entrei em contato com ela, trocamos umas "prosas" e Mayara se mostrou muito prestativa.Me enviou por email este depoimento que não pensei duas vezes para postá-lo:

"Olá! Eu sou a Mayara Silveira, tenho 23 anos e pratico dança do ventre há seis. Sempre tive paixão pela dança e isso me levou a buscar aulas e realizar um sonho que era dançar.
Nesse período vivenciei muitas coisas boas e ruins, desafios e obstáculos. O corpo foi um deles, no início a timidez e a baixa estima faziam com que eu tivesse vergonha de mim mesma, mas com o tempo eu fui percebendo que isso não tinha lógica, que eu precisava colocar duas palavras na minha vida: ACEITAÇÃO e AMOR. Aceitar e amar a mim mesma, ou então jamais seria feliz.
A luta contra a balança sempre foi o calcanhar de Aquiles para perder os quilinhos que sobram. Isso é uma meta, é o que quero fazer, mas enquanto o resultado não chega eu vou me amando do jeito que sou, afinal as gordurinhas não influenciam na essência da dança, é somente estética.
O mundo foi feito para todas e a dança também. Existem por aí muitas bailarinas internacionalmente famosas e que são gordinhas, um exemplo delas é Aida Nour.
Muitos vão concordar e outros não, mas de fato é isso mesmo. Uma mulher bem feita é linda? É sim!
 Uma mulher gordinha é linda? É sim. Todas têm sua beleza, qualidades e defeitos que resultam na sua essência e personalidade.
Hoje sou professora, bailarina e coreógrafa de Dança Árabe. Além da dança pratico atividades físicas regulares com uma dieta balanceada para perder os quilinhos que estão sobrando, não porque os outros falam, mas porque isso me faz bem. Hoje devo todo o amor que tenho à dança, ela me mostrou caminhos, alegrias, tristezas, problemas, soluções e muita vida.
Não existe uma receita pronta para ser feliz como bailarina, busque o seu interior, o que você sonha e quer na sua vida.
Depois de um tempo você vai perceber que o essencial é invisível aos olhos e que ele vive na sua alma, nos seus sentimentos e no seu coração. Mais informações sobre o meu trabalho:
Blog: http://mayarasilveiraa.blogspot.com"


Obrigada pela colaboração Mayara,desejo que seu caminho brilhe sempre.E para todas aquelas que desejam aprender a dança do ventre um conselho: Você só será um vencedor se acreditar em você mesmo (Ayrton Senna) .Até o próximo post gentens.......Bjooocas a todas e todos também.


Texto: Mayara Silveira

Adaptação e elaboração: Maryah Nogueira






4 comentários:

Claudia Lúcia disse...

Obrigada pelo carinho meninas!!! Realmente não é nada fácil trabalhar com o corpo quando se "está fora dos padrões"... ainda mais com essa imensa cobrança estética que temos...

Mas amo muito meu trabalho e luto para que este seja o melhor possível.

Breve postarei citações de um trabalho que fiz sobre A OBJETIVAÇÃO DO CORPO NA DANÇA DO VENTRE.

No mais, OBRIGADA!
BEIJOS

Claudia Lúcia - Goiânia-Go

ESTÚDIO DE DANÇAS ANNA PAULLA disse...

Escrever sobre um tema como este é sempre bom porque a nossa dançaa abrange muitas mulheres em suas particularidade....Vivemos em um mundo regrado de regas,tabus,padrões,infelizmente muito longe de mudanças...Mas estamos aqui não para leventar bandeiras ou polêmicas e sim fazendo a nossa pate como divulgadores de cultura,arte,história,expressando nossas opiniões...Sobre a Dança do Ventre, nunca é tarde para iniciar o aprendizado. Todas as mulheres são belas na Dança do Ventre.

maryah nogueira disse...

a dança existe para resgatar o melhor de nós...e também nos ensiina a quebra tabus,preconceitos e opiniões negativas...

Mayara Silveira disse...

Obrigada meninas. Foi muito bom desenvolver esse texto para o blog, é um tema bastante polêmico na nossa área que levanta muitos questionamentos.

Viva a diversidade feminina e suas múltiplas belezas.